Buscar

Reunião de Apresentação da Empresa Cetab





Apresentação da empresa Centro de Engenharia & Tecnologia — CETAB, das intenções quanto aos investimentos em planta industrial com uso da tecnologia empregada em países do Leste Europeu para o tratamento de resíduos sólidos urbanos do interior do estado do Amazonas. A reunião contou com a participação do Excelentíssimo Senhor Governador do Estado e demais representantes e titulares das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação —- SEDECTI, Meio Ambiente — SEMA,e o Instituto de Proteção Ambiental — IPAAM.




A reunião teve início com a receptividade do Exmo. Sr. Governador, Wilson Lima, que após o tratamento de praxe, colocou-se à disposição para ouvir a proposta da empresa CETAB.


O Presidente da CETAB - Sr. Arthur, com auxílio da intérprete, Sra. Natália, informou ao Governadora importância do projeto de tratamento de resíduos sólidos(lixo) e as razões para escolherem o Estado do Amazonas, tendo em vista a . grande repercussão que tomará o empreendimento em caso de sucesso e sua expectativa quanto ao financiamento do projeto pelo Banco Mundial fomentando as ações voltadas ao cumprimento da Agenda 2030.


Seguiu-se a exposição de um vídeo da CETAB que esclarecia O processo produtivo da Central de Tratamento de Resíduos da recepção dos materiais coletados por caminhões que adentram na planta fabril por rampas elevadas e passam a depositar os resíduos em silos de entrada com superfícies rotativas que seguem por esteiras transportadoras para os processos de esterilização, separação, classificação (automático e manual), trituração, pirólise, expedição e destinação final, ou para a produção de outros produtos com base no material reciclado em outras unidades fabris da própria empresa ou em outros empreendimentos demandantes de insumos reciclados.


O Diretor Jorge Luiz da CETAB explicou sobre a preferência pela escolha da localização próximo a estrada que liga lranduba e Manacapuru (AM-070) ou entre Rio Preto da Eva (AM) e Manaus,pela acesso aos modais rodoviário e naval ou em para o recebimento dos insumospara a produção que viriam dos municípios próximos da Região Metropolitana de Manaus por rodovias e, na Segunda Etapa oriundos dos demais municípios do interior através de balsas.


O Exmo. Sr. Governador indagou aos representantes da CETAB sobre a forma de financiamento do empreendimento e Sr. Arthur informou que seria com 20% de capital próprio de grupo de investidores e 80% de capital do Banco Mundial. Em seguida, o Exmo. Sr. Governador perguntou acerca das fontes de receitas previstas para viabilizar o empreendimento, sendo respondido pelo Engo. Jorge que a principal receita estaria vinculada a geração e venda da Energia produzida pelo processo produtivo somada às receitas dos demais produtos que serão produzidos a partir desse tratamento de resíduos, como, por exemplo, cerâmica, plásticos, vidros, areia e gás, que podem ser aproveitados em segmentos cerâmico da indústria de lranduba ou em outros processos produtivos.


O Secretário Jório Veiga expôs que sendo a Energia gerada a principal E fonte de receita seria necessário que a CETA Btivesse atenção às normas da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL para que possa viabilizar a comercialização dessa energia. O Sr. Arthur indicou que sabe dessa questão e que já está sendo considerada e o Sr. Jorge expôs que estão em contato com a Amazonas Energia para essas tratativas.


O Exmo. Sr. Governador ainda questionou se a empresa conhecia de fato as características logísticas do Estado do Amazonas e disse se preocupar se esse custo poderia inviabilizar ou não as operações dessa Central de Tratamento. O Sr. Jorge disse que a equipe da CETAB conhece muito bem as dificuldades das operações logísticas mas que possuem as expectativas de que ainda assim o empreendimento seja viável. O Engo. Jorge comentou que no mercado internacional estão pagando US$ 80,00 (oitenta dólares) por tonelada de resíduo recolhidos na África para processar na Suécia e que no Amazonas pode-se, dependendo do Plano de Negócios, pagar também pelos resíduos coletados nos municípios da malha rodoviária metropolitana.


O Exmo. Sr. Governador sentiu falta de um plano de negócio que registrasse o modelo de negócios e as variáveis econômicas para a viabilidade técnica-econômica desse investimento e, perguntou qual a quantidade de resíduo mínimo que viabilizaria o empreendimento. O Sr. Arthur respondeu que o previsto seria de 800 mil toneladas por ano o que foi confirmado pelo Sr. Jorge.


O Secretário Eduardo Taveira explicou que recentemente a equipe técnica da SEMA realizou o levantamento do perfil do descarte de resíduos sólidos nos municípios do interior e chamou a atenção que além da questão logística que pode vir a dificultar as operações da empresa ainda tem que considerar a quantidade de resíduo urbano gerado nesse municípios menores,tendo em vista que o Amazonas só possuem 4 (quarto) municípios médios e um grande que é Manaus. O Secretário Eduardo colocou à disposição a sua equipe para colaborar com a empresa nos i estudos necessários que possam subsidiar um plano de negócio robusto.


O Presidente Juliano Valente sugeriu que se fizesse um projeto piloto, para que se tenha referência desse processo de tratamento de resíduos e ao mesmo tempo verificar se tem viabilidade econômica.


O Secretário Renato Freitas explicou que a SEDECTI vem acompanhando e orientando a empresa CETAB a mais de 2 (dois) meses e vem / indicando a necessidade do plano de negócio e do projeto técnico-econômico para que pudesse solicitar junto audiência junto ao Governador.


O Secretário Renato informou que, além do tratamento de resíduos | sólidos coletados, a CETAB também apresentaria um processo de “mineração” dos Se “lixões”, fazendo a limpeza de grandes áreas de depósitos de resíduos sólidos e, que a equipe da SEDECTI havia combinado com os representantes da CETAB que deveria haver um projeto piloto em que a empresa havia concordado afirmativamente e escolhido o(s) municípios cujas simulações do Plano de Negócios indicasse para realizar um Plano Piloto.


O Exmo. Sr. Governador sugeriu que o piloto não precisaria ser muito distante da capital e poderia ser na própria Região Metropolitana de Manaus,talvez Autazes, por exemplo.


O Secretário Jório concordou com a sugestão do Exmo. Sr. Governador no sentido que a empresa fizesse o plano de negócio e, se possível, com teste do processo em um projeto piloto para retornar ao Governador com a equipe técnica para efetivamente poder deliberar a respeito do assunto.


O Exmo. Sr. Governador disse que o Estado tem muito interesse em resolver o problema dos resíduos sólidos que se acumulam em lixões pelos municípios e que poderá apoiar pessoalmente o projeto junto aos Prefeitos dos Municípios, caso seja demonstrado a viabilidade desse empreendimento, e colocou a equipe técnica à disposição para auxiliara empresa nos levantamentos necessários para os estudos de viabilidade técnica-econômicos.


O Secretário Jório ressaltou que a empresa poderia optar por outra localização, por exemplo, no Município de Rio Preto da Eva, pois estão planejando a implantação do Distrito Agroindustrial, entretanto o Sr. Jorge explicou que o projeto piloto deveria ser realizado nas proximidades da capital e que Rio Preto da Eva será um dos locais simulados.


O Sr. Arthur e o Sr. Jorge concordaram com às sugestões do Exmo. Sr. Governador e dos Secretários presentes para investir na elaboração de um plano de negócio e na realização do projeto piloto em município do interior do Estado do Amazonas.


O Secretário Jório indagou em quanto tempo a CETAB estimaria para elaboração do plano de negócio e para execução do projeto piloto. O Sr. Arthur respondeu que o plano de negócio ficaria pronto em 60 (sessenta) dias e a execução do projeto piloto em 6 (seis) meses, ficando assim previamente combinado para exposição do Plano de Negócio no final de Janeiro/2020 e a operacionalização d projeto piloto em Agosto/2020.


O Sr. Renato informou a empresa havia demandado a elaboração e assinatura de um Memorando de Entendimento com objetivo de fundamentar o financiamento do projeto junto ao Banco Mundial, mas que agora sugeria que tal documento fosse assinado apenas depois da apresentação do plano de negócio e da execução dos testes do projeto piloto.


O Exmo. ser formalizado Sr. Governador após a confirmou realização que por parte o documento da CETAB de das entendimento etapas de elaboração do plano de negócio e da efetivação do plano piloto. Após o amplo consenso sobre o assunto segue esta ata assinado por mim, Renato Mendes Freitas, que secretariei a reunião e pelos demais participantes.